reflexão

Como efeito borboleta

Hoje eu tava pensando sobre como as minhas ações, desde as mais simples, podem influenciar na vida de outras pessoas. Como cada mudança, por menor que seja, pode mudar muita coisa.

Às vezes, acontece comigo de eu me pegar pensando em situações em que eu poderia ter agido diferente, ter sido mais legal ou atenciosa.. já aconteceu com você?

Tipo, no supermercado, no trabalho ou quando encontro um amigo na rua.. Muitas vezes, eu tô tão concentrada em mim e no que EU estou fazendo, que não paro pra viver cada momento desse, com cada pessoa que cruza meu caminho, ou simplesmente para reparar nas coisas ao meu redor.

Parei e me dei conta de quantas e quantas vezes eu estou ligada no “piloto automático”.. De quantas coisas eu deixei passar ao longo do meu dia, coisas pequenas, mas que juntas fizeram o dia de hoje único.

Se eu te perguntasse o que você fez hoje, acredito que facilmente você me diria todas as suas atividades ao longo do dia.. Mas e se eu te perguntasse sobre o que as pessoas ao seu redor estavam fazendo.. sobre como elas estavam se sentindo.. você saberia me dizer?

Tava refletindo sobre aqueles dias em que estou tão estressada, que acabo sendo super indiferente à moça da lanchonete, que por sua vez, tendo acumulado vários “indiferentes” ao longo do dia, fica chateada e acaba ficando distante de seu filho ao chegar em casa. O filho que, naquele mesmo dia, foi ridicularizado na frente da turma e só precisava do colo da mãe.

Enfim.. talvez, se eu tivesse sido mais gentil com a moça da lanchonete, teríamos começado algum diálogo, no qual ela mencionaria que tem um filho maravilhoso, para o qual estaria ansiosa pra contar sobre a conversa quando chegasse em casa. Claro, é só um talvez. Mas são muitos “talvez” que podem acontecer, que tal apostarmos certo?

Inclusive, aquela simples conversa com a moça da lanchonete poderia me me tocar de alguma forma, que talvez acabasse com meu estresse.. e aí eu me sentiria melhor e seria mais legal com as pessoas que ainda cruzariam meu caminho naquele dia.

Às vezes, pequenos gestos mudam completamente o rumo das coisas. 

Às vezes, a pessoa do seu lado só precisa que você seja gentil…

Que tal fazermos a nossa parte para que se gere um ciclo do bem? Pode ser que precisemos mudar hábitos, e não ações.

Nessa rotina atribulada e estressante, quando você interage com as pessoas, na maior parte, você não sabe o que o outro está sentindo, pelo o que ele está passando..

Se um cara me fechou num cruzamento, onde a preferencial era minha, e por muito pouco não bateu no meu carro, novinho, o cara é um mal educado apressado. Mas se eu te disser que esse cara tava correndo porque soube que o filho se envolveu num acidente, o cara é só um pai nervoso e preocupado.

Vamos tentar ser mais compreensivos e esforçados, tentar nos conectar mais com as pessoas que estão ao nosso redor.. Afinal, “gente precisa de gente, pra ser gente” (não sei quem primeiro disse/escreveu isso, mas acho maravilhoso).

Valeu!!

8 comentários em “Como efeito borboleta”

  1. Isso é tão real! As vezes eu fico pensando tbm sobre como eu devia ser mais empática com as pessoas e não ficar tão concentrada em mim mesma durante o meu dia… e quando eu faço essas pequenas coisas, tipo dar a vez pra alguém no transito, ou de repente até pegar um papelzinho que uma pessoa tá distribuindo na rua, isso me faz sentir mais gente e mais humana, e são coisas tão simples, mas só de saber que eu facilitei só um pouquinha a vida de alguém já vem aquele sentimento quentinho no peito…

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s